10/16/2005

Boas notícias

Ao procurar pelo recente artigo do New York Times sobre o vinho português (For the Next Big Thing, Look to Portugal; o artigo não se encontra mais disponível, ver comentários ao poste VINHAÇAS) encontrei este:

Portugali on tätä nykyä kuumimpia viinintuottajamaita, ja myös Alkon valikoimaan on saatu ilahduttavasti maukkaita uutuuksia Portugalin rustiikkisista maisemista. Tämänviikkoinen Morgado de Sigueiros on loistava esimerkki. Douro-joen rantamat ovat Portugalin muodikkainta ”pöytäviinialuetta”, mutta tämän viikon viini on valmistettu perinteikkäällä Dãon alueella, hieman Douro-joen eteläpuolella. Dão tunnettiin pitkään valtavien osuuskuntien alueena. Markkinoille puskettiin enemmän tai vähemmän toisiaan muistuttavia, varsin persoonattomia ja aivan kuin samasta tuutista pursotettuja viinejä. Asiat muuttuivat 1990-luvun loppupuolella, kun osuuskuntatoimintaa alettiin purkaa ja yksittäiset viljelijät ymmärsivät alueen potentiaalin mahdollisuudet. Dãon maineen suunta kääntyi. Rustiikkiset, persoonalliset ja varsin rotevat viinit alkoivat tehdä tuloaan.

Não tenho dúvidas de que o autor também leu o artigo do NYTimes. A terminar, a cereja no topo do bolo:

Morgado Silgueiros
Alue: Dão
Rypäleet: Jaen, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Alfrocheiro
Hinta: 7,64 euro
Tähdet: (4 estrelas)

2 Comments:

Blogger aNtonio said...

Sai uma tradução de trás da orelha:

Portugal é neste momento o mais estimulante (hot) dos paises produtores de vinho e também as prateleiras do ALKO receberam agradaveis sabores(?) da paisagens rusticas de Portugal. Morgado de Silgueiros, o (vinho) desta semana é uma excelente amostra. AS margens do Douro são as areas por excelencia do vinho de mesa em portugal, mas o vinho desta semana vem da tradicional area do dão, um pouco a sul do douro. O Dão é há muito conhecido como area de forte tradição associativa (/cooperativa). No mercado vendia-se (?) um ou outro tinto, contudo sem personalidade e indiferenciado (nao compreendi esta frase).No final dos anos 90 deram-se mudanças significativas quando as cooperativas começaram a dissolver-se (? purkaa ) e os privados compreenderam as potencialidades da area. A reputação do Dão cresceu. Vinhos rusticos, robustos e com personalidade começam agora a chegar.

10/17/2005 02:40:00 da tarde  
Blogger aNtonio said...

Na semana passada comprei uma garrafa deste Morgado Silgueiros para o Natal. Acabei por o beber mais cedo e ainda bem que o fiz. Já lá vão muitos anos que não bebia um vinho com um sabor tão desagradável, ter-me-ia estragado o natal.
Sou fã dos Douro, costumo gostar dos que contem a Casta Touriga Nacional, e desde que estive na Holanda (99-00) que aprecio os Dão, onde comprava-mos às caixas no Albert Hein (não me lembro a marca mas nao era Vasco da Gama). Estava à espera de um vinho adulto e encorpado saiu-me que me lembra o verde novo da quinta dos meus pais - mas sem as frescura e sem a efervescencia e perfurme destes.

E o que nos diz sobre as avaliações profissionais se o critico lhe deu 4 estrelas e para mim ele mal vale uma?
Talvez seja porque eu o não ter acompanhado com um "prato de caça" (sic) :-))))

12/25/2006 12:02:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home